Arte em CENA – Críticas

Para Ivonete Pinto, “A Festa da Menina Morta”, de Matheus Nachtergaele, constrói um universo pleno de referências, sem abrir mão da originalidade e do estranhamento como elementos fundadores desta construção.

O artigo analisa a incessante busca da identidade nacional a partir da análise das representações de Brasil nos filmes “Bye Bye Brasil” e “Cinema, Aspirinas e Urubus”.

Artigo de Francisco Alves faz uma análise comparativa das imagens produzidas e disseminadas nos documentários realizados durante o Cinema Novo e na Retomada.

Em “Jean Charles”, Selton Mello mostra maturidade plena para dar vida e verdade a um personagem comum. Veja na crítica de Luciano Trigo.

Para Luciano Trigo, o documentário “Simonal – Ninguém sabe o duro que dei” mostra a participação do próprio cantor na conspiração de circunstâncias que o condenou a sair de cena.

Visão do Brasil atual na perspectiva de um grupo de intelectuais, “O Príncipe” é alvo de críticas iradas e defesas contundentes, em uma polêmica que negligencia o foco existencialista do filme.